"O futuro chegou. E é elétrico", disse Harley-Davidson - Carro e motos

“O futuro chegou. E é elétrico”, disse Harley-Davidson

Dois novos conceitos revelados na semana passada nos X Games, no Colorado, não exigiriam uma carta de motocicleta (nos EUA) e poderiam ser carregados com uma tomada de parede normal, diz a empresa.

A Harley-Davidson é uma das marcas americanas mais famosas, mas está precisando muito de uma reinvenção. O ícone da motocicleta registrou quatro anos consecutivos de queda nas vendas de seus principais veículos de duas rodas. E embora a empresa esteja no início de um plano de revitalização de quatro anos, as tarifas íngremes da atual guerra comercial do presidente Donald Trump com a China quase acabaram com seu lucro no último trimestre de 2018.

A mudança está chegando.

Nos X Games, em Aspen, Colorado, na semana passada, a Harley revelou os mais recentes conceitos para sua linha de veículos elétricos que espera ajudar a recrutar novos pilotos para a marca de 116 anos.

A bateria da moto pode ser removida à mão, facilitando a movimentação e a recarga, diz a empresa, acrescentando que ela pode ser carregada através de qualquer tomada residencial padrão.
A bateria da moto pode ser removida à mão, facilitando a movimentação e a recarga, diz a empresa, acrescentando que ela pode ser carregada através de qualquer tomada residencial padrão.
O segundo dos dois conceitos parece mais uma moto trail do que uma urbana.
O segundo dos dois conceitos parece mais uma moto trail do que uma urbana.

A Harley disse em sua apresentação para os investidores delineando seu programa “Mais Estradas para a Harley-Davidson” de que as motos elétricas não devem atingir paridade de custo com motocicletas com motor de combustão interna até 2030, no mínimo.

O “futuro imediato da empresa não parece mais brilhante“, disse David Beckel, analista da Bernstein, a clientes na semana passada sobre as finanças da Harley em 2018.

  • arrow